[ESPECIAL] Elliott Smith: Elliott Smith (Self Titled)

RSS
Weiterleiten

24. Feb. 2011, 0:23

Elliott Smith

Para prosseguir a saga, esta semana volto com meu disco favorito do Elliott Smith. Provavelmente o disco mais pesado liricalmente de sua carreira. Obscuro e sombrio, o disco oferece muitas das melhores canções do cantor.



Vamos acompanhar, faixa-a-faixa.

1. Needle in the Hay

Primeira faixa, feita só no violão, como a maior parte do cd. Falando sobre drogas (especificamente morfina, como há de se deduzir), é introspectiva e sombria. Não nego que há repetições excessivas de 'needle in the hays', mas tudo complementa a essa obra magnífica que abre o album.

Meu quote fica no 3:10, quando Elliott solta um:

"that i'm getting good marksssssssssssssssssssssssssss"

2. Christian Brothers

Essa letra exemplifica mais o vicio do cantor em bebidas. O próprio título na verdade se refere a uma bebida. É a canção mais longa do album, mais animada que a antecessora, e há presença de bateria. Seu trecho que impacta a canção é sem dúvidas o

"nightmares become me, it's so fucking clear"

Excelente.

3. Clementine

Uma das melodias mais fáceis de pegar do Elliott. Doce, a canção cita uma famosa música folk americana, chamada 'Oh my darling, clementine'. Provavelmente, é fácil de pegar na cabeça

"oh my darling, oh my darling, oh my darling clementine".

a qual Elliott tanto ecoa na canção. 2:46 sempre bem gastos ao ouvir "Clementine", com certeza. Legal reparar que ele cita 'angel in the snow' na música, a qual viraria título de uma música belíssima no disco 'New Moon'.

4. Southern Belle

Com o instrumental no violão genial que introduz Southern Belle, não é dificil ser a favorita de muitas pessoas, do disco. Com uma letra contando de um marido que abusa de sua mulher provavelmente (nos faz pensar a relação de seu padastro com sua mãe), não é muito difícil adentrar no universo melancólico de Elliott. Ao final, ele desbraveja:

"YOU'RE KILLING A SOUTHERN BELLE, KILLING A SOUTHERN A BELLE, KILLING A SOUTHERN BELLE".

Sem dúvidas a melhor parte da canção é o final.

5. Single File

Fazendo parte do elenco de curtinhas, também faz parte do relativo ao acervo de músicas sombrias de Elliott. Assim como as outras do disco, ele prepara um final introspectivo, baseado na repetição desalenta de algo impactante e curioso. Nessa canção, é o próprio título da música.

6. Coming Up Roses

A canção que originou o primeiro disco do Elliott, e provavelmente, a mais bem produzida do disco. O clipe que mostra imagens de provavelmente um suburbio de Los Angeles, cuja letra, novidade, fala de drogas, e também faz auto-críticas a si mesmo como podemos perceber em "i'm a junkyard full of false starts”.
A minha favorita do disco, sem dúvidas. Pra quem ainda não conhece o clipe:



7. Satellite

Uma das canções mais dificeís do cd. Não é fácil adentrar o universo explorado em 'Satellite'. A voz básica, o violão e os sussuros marcam "Satellite". O final surpreende, e é uma introdução perfeita para a longa faixa 8 que a procede. Uma curiosidade é que ele fala 'you're a question mark', a qual viraria título de uma ótima canção no disco "XO".

8. Alphabet Town

Provavelmente uma das primeiras que eu gostei do cd, Alphabet faz parte do time de músicas longas do disco. E das mais bem produzidas. O começo uivante da gaita dá características únicas a canção. Há muitas teorias explicando essa canção, acho legal a que fala sobre NYC, cujo há uma parte da cidade com esse nome. Do jeito que Elliott gostava de citar cidades (bem vistos em LA), nunca se sabe.

9. St. Ides Heaven
Letra e instrumental igualmente pesados. "St. Ides Heaven", bebida famosa nos Estados Unidos virou título a uma das canções mais depressivas do cantor. Fala majoritariamente sobre o vício em anfentaminas e parte do universo que o cercava, e nos concedeu uma dos quotes memoráveis de sua carreira:

"because everyone is a fucking pro"

10. Good to Go

"I wouldn't need a hero if I wasn't such a zero"

Esse trecho já exemplifica o teor altamente auto-crítico que assume a canção. É nessa canção que talvez ele assume sua personalidade suicida, e dá indícios fortes de sua depressão severa. A melodia da canção acompanha o espírito da letra.

11. The White Lady Loves You More

Essa música ficou mais conhecida após ser exibida no filme "Paranoid Park" do Gus Van Sant. A canção, nada tem de romântica, já que nossa "White Lady" é uma gíria comum a cocaína nos EUA. Mais um vício destrutivo de Elliott (no que ele não era viciado, afinal?). Rendeu uma belíssima canção, com 2 partes basicamente, com um começo excelente, e termina com ele repetindo o título da música. 2:24 bem gastos ouvindo, sem dúvidas.

12. The Biggest Lie
É a mais conhecida e admirada entre os fãs, dentre as faixas do disco Elliott Smith (1995). Com uma melodia mais pop que me remete a lembrar (de longe) os Beatles, não é muito difícil cair de amores por ela. Há uma discussão sobre o significado da música, muitos dizem que pode ser sobre drogas, eu prefiro pensar que foi um episódio de sua vida. Vale a pena conferir a letra e a canção, também curta, 2:39.

Kommentare

  • BrnMrvk

    Agora sim começa de verdade a discografia do Elliott KKKKK Na verdade eu até curto algumas do Roman, mas né

    4. Mär. 2011, 12:35
  • caqui_guit4r

    As canções desse disco são fantásticas, ele era um raro tipo de artista que fazia muito com pouco! É muito triste que ele não esteja mais aqui, lamento muito a (estranha) morte dele.

    13. Nov. 2011, 18:48
Alle 3 Kommentare anzeigen
Sage etwas. Melde dich bei Last.fm an oder registriere ein neues Benutzerkonto (es kostet nichts).