Blog

RSS
  • Yac yac yac

    3. Okt. 2009, 12:24

    Eu acabei de voltar de uma tremenda viagem ao mundo das artes. Estou cansado mas não posso me furtar de escrever para os fãs essas linhas.

    Estive conhecendo umas velhas coisas novas. Calma eu explico.
    Eu andei fuçando uns discos velhos de jazz e acabei encontrando umas sonoridades estranhas mas muito legais. Ainda não organizei tudo pra listar pra vocês, mas estou trabalhando nisso.

    Por enquanto... (Já vou Moe!!! Esse cara não me deixa em paz.), Mas como ia dizendo, por enquanto vou deixar com vocês só uma indicação: Um cara chamado Charlie Hunter. Deem uma fuçada no som dele e depois me digam se vale a pena ou não.

    E é isso por enquanto pessoal. Yac yac yac
  • Curly novamente na área.

    30. Aug. 2008, 10:49

    Hoje pela manhã caprichei o nó da minha gravata. E na frente do espelho, ainda no banheiro lustrei minha careca com uma flanela bem macia e limpinha.

    Antes de sair vesti meu paletó e dei a última conferida no espelho perto da porta de entrada. Tudo em cima, vou almoçar na casa do Moe e ele é um cara muito observador, não quero estar mal arrumado, ainda mais que ele irá apresentar pra Larry e eu sua nova garota!

    Mas o bom mesmo é depois do rango, vamos sentar na varanda para tomarmos um cafezinho e ouvir alguma música. Sei que o Larry comprou uma nova coleção de Jazz e vai levar pra lá.

    Ele não quis adiantar o nome do artista, mas desconfio que seja Dave Brubek. E espero que quando tocar Take Five - The Dave Brubeck Quartet a gente possa ouvir bem alto. Aquele solo de bateria fazendo um compasso sincopado me deixa realmente doidão.

    Ah! É claro, Shemp mandou avisar que mais tarde também vai dar uma passadinha por lá e também vai levar sua nova garota! Bom até mais tarde folks, porque acho que estou um pouco atrasado.

    Yac yac yac...Take Five - The Dave Brubeck Quartet
  • A Volta de Curly

    28. Mai. 2008, 18:27

    Yak yak yak!

    Curly voltou para deleite de todos que o amamos. E volta cheio de vontade de contar todas as novidades que recolheu por aí nos lugares que visitou nos últimos meses.
    Um destes lugares foi o mundo RAP. Confessou-me (e pediu discrição) que não ficou muito fã. Mas resolveu destacar um artista que já está nessa há alguns anos: Snoop Dogg.


    Curly disse que ouviu e gostou dos seguintes trabalhos:
    Ups & Downs, Signs e Let's Get Blown.

    Mas Curly não vai se aprofundar mais nesse mundo, mesmo porque ele, nesse tempão em que esteve fora, visitou outras paradas também. Mas isso fica pra próxima, já que estamos ouvindo gritos vindos da cozinha... Acho que Larry queimou-se novamente fazendo suas panquecas!

    É Curly saiu correndo e foi ver o irmão.
    Bem pessoal por enquanto é só e fiquem em paz!
  • Anos Setenta

    25. Feb. 2008, 11:51

    Curly acordou com um pouco de dor de cabeça. Não, ele não bebe! Achamos que deve ser conseqüência de uns tapas que levou do Moe. Mas ele ama o irmão.

    Seguinte, andei ouvindo muita coisa dos anos setenta,mais precisamente o início da década, e acho que vou me enveredar um pouco por essa vertente. Não vou abandonar o jazz nem tão pouco o blues. Mesmo porque não conseguiria. Afinal de contas aquela turma que fez muita música naquela época só bebeu destas fontes.

    Dá pra identificar no trabalho daquelas bandas de rock progressivo, muita coisa que veio direto do beep bop, e evidentemente do blues. Tem muita coisa também dos grandes mestres clássicos. Um bom exemplo disso é o trabalho de Emerson, Lake & Palmer e em especial Pictures at Exebithion. E com um pouco mais de interesse, qualquer um de nós que amamos a música, conseguiremos identificar essas tais referencias.

    Mas como diria o mestre Curly: "Yack yack yack". Um grande abraço a todos e fiquem bem. Tá na hora de ver o que Moe e Larry estão aprontando...
  • Relou uorld!

    1. Dez. 2007, 11:46

    Yac Yac Yac... Como diria o gênio Curly!

    Aqui estou escrevendo. Meu mestre diz sempre que devo escrever mais, e nem me preocupar com a gramática, métrica ou coisa parecida, pois tenho talento suficiente para sair da mediocridade.

    Musica. Sempre fez parte de vida, da humanidade, de cada ser vivo neste planeta. Pra mim as baleias cantam e compõem seus versos subaquáticos. Acho que as plantas emitem algum tipo de freqüência sonora que não conseguimos ouvir.

    E os animais, bem esses a gente ouve o tempo inteiro. Dizem que as girafas são mudas. Mas aquelas antenas que mais parecem ter saído de algum filme B sobre invasões alienígenas... Pra mim é óbvio que emitem (e receptam também) sons misteriosos. Captados em alguma galáxia próxima por seres que flutuam sobre um oceano vibrante e multicolorido. Lembra um pouco o chão das discotecas dos anos setenta!

    Eu aqui viajando ouvindo James Taylor, Elton John e Jimi Hendrix! Escrevo melhor assim. Devo confessar.

    Bom, por hoje é só pessoal! That's all folks!

    Mas antes de ir deixo uma recomendação. Uma não, duas:
    1 - Canja de galinha (é bom pra matar a fome)
    2 - Telonius Monk (é bom pra aprender)

    Até a próxima.